Como arrumar a mochila

Foto: Guatman.

Mala ou mochila?

Se você não pretende andar com a bagagem, a mala pode ser uma boa opção. As malas são ideais para quem tem sempre por perto um desses carrinhos de aeroporto para levar a bagagem até o taxi e, depois, um carregador no hotel que fará o resto do trabalho. Talvez arraste ela um pouco mais (por isso as rodinhas são tão importantes), mas não muito mais que isso.

A mochila, por outro lado, dá uma agilidade muito grande. Embora seja pior de arrumar e as roupas amassem com mais facilidade, com uma mochila nas costas dá para correr até um ônibus ou caminhar as poucas quadras que separam um hostel de uma rodoviária ou estação de metrô, e que não valeria a pena pagar um taxi. Em hostels também não existem carregadores (seria muita folga, não acham?), o que torna o subir e descer de escadas, muito mais fácil. E essa liberdade, muitas vezes cansativa, que a mochila proporciona é fantástica.

Calçados:

Essa regra não vale só para os calçados, mas para tudo: leve o mínimo! Um tênis confortável (e pequeno), chinelos e um par de botas já estão ótimos. É claro que se não estão previstos trekkings na viagem, o par de botas é dispensável.

Roupas:

Mais uma vez, o mínimo. Não queira viajar sem ter de passar por uma lavanderia. Em praticamente todos os hostels tem lavanderia. Considere também a possibilidade de lavar a própria roupa se o dinheiro da viagem estiver apertado.

Veja também: O que fazer com as roupas sujas em uma viagem

Existem tecidos que amassam menos e secam mais rápido, outros que mantém a temperatura do corpo… Essas peças podem, às vezes, ser mais caras, mas ocupam pouco espaço, pesam menos e costumam ter boa durabilidade. Vale a pena uma pesquisa.

Lembrando que aquilo que ocuparia mais espaço na mochila deve estar sempre no corpo, vestidas, como botas e jaquetas.

Bagagem de mão:

Outra mochila ou bolsa, pequena, também deve ser levada. Aí irá câmera fotográfica, mp3, laptop, livro, água, escova de dente… Ou seja, tudo que for frágil, caro ou que se use com frequência. Essa mochila deve estar sempre grudada em você. Não se afaste dela nunca. Se for viajar de ônibus, ponha ela no chão e entre as pernas, com a alça presa a uma das pernas (conheço gente que já perdeu a mochila enquanto dormia). Nos hostels, ela deve estar sempre trancada em um locker, por isso não se esqueça de levar um cadeado, de preferência com segredo, para não correr o risco de perder as chaves.

Livros:

Um só basta. Ou melhor, dois: um guia de viagem e outro que lhe agrade, para ler em viagem ou enquanto espera o ônibus, trem ou avião.

Os hostels costumam ter uma pequena biblioteca e muitos deles fazem trocas de livros. Ou seja, depois que acabou um livro, troque por outro no hostel. Assim, além de não ter de carregar muita bagagem, gasta menos e conhece outros autores.

Albergues:

Veja também: Hostels e os quartos coletivos: como (não) pagar mico
Para albergues, alguns itens são importantes. Além do cadeado para o locker, não esqueça de uma toalha, lanterna para o caso de quartos coletivos (para não pagar mico), shampoo e sabonete.

Outros:

Se for levar shampoo e condicionador, prefira os “dois em um”, economizando peso e espaço. Cortador de unha, agulha e linha (para possíveis acidentes), cotonetes, band-aid, também são muito úteis.

Mais (ou menos) que isso vai depender do tempo de sua viagem. A bagagem para uma semana é bem diferente da de quem vai passar seis meses viajando. O único mandamento é levar pouco, que ocupe pouco espaço e seja leve.




Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.