Cabildo, em AsuncionCabildo, Asunción.

Pela segunda vez, entro na Argentina depois de passar pelo Paraguai. Quatro dias antes, tinha sido informado que deveria tirar férias, coisa que não estava nem de longe em meus planos. Dessa forma, mais uma vez, saio de férias sem me preparar como gostaria. Dia 25 de dezembro de 2007, saio de casa com possíveis roteiros, muitas idéias e nenhum plano concreto.

Dessa vez vou de Pluma (R$ 110,00), saindo as 21h30 de Curitiba e chegando no meio da tarde em Asunción. Ao chegar, tento descobrir, ainda na rodoviária, a maneira mais fácil de chegar em Salta, na Argentina, e sou informado que tenho que ir até Resistência e de lá, para Salta. Compro a passagem para o dia seguinte e passo a noite em Asunción.

Fico no mesmo hotel que havia ficado uns meses antes (Gs. 70.000,00) e não chego a conhecer nada de novo.

No dia seguinte, meu ônibus sai perto de meio-dia e depois de ficar quase duas horas para atravessar a fronteira com a Argentina, chego por volta das 19h em Resistência. É quando descubro que os ônibus para Salta estão todos lotados. Como eu não queria passar a noite em Resistência, tive que inventar um plano B: Córdoba.

Vou pela Flecha Bus por $ 130,00, cerca de R$ 75,00. A viagem dura perto de 11 horas.

De manhã, na Rodoviária, sou abordado por uma pessoa que me oferece um albergue, o Palenque Hostel. Já tinha ouvido falar deste hostel, e por 5 pesos pego um taxi até lá. Dei muita sorte, pois os 5 dias que permaneci no hostel só conheci gente legal. Não sei se os brasileiros não conhecem ou não se interessam pela cidade, mas Córdoba foi a única cidade na Argentina que não conheci brasileiros.
O único incômodo da cidade, principalmente em janeiro, é o calor. Não é raro alguns hóspedes do albergue se reunirem para ir ao cinema para fugir das altas temperaturas do centro da cidade.

Manzana Jesuítica

Manzana Jesuítica de la Compañía de Jesús

Córdoba é a segunda cidade do país, com cerca de 1.500.000 habitantes. Foi colonizada no final do século XVI, com uma presença marcante dos Jesuítas.  Possui várias construções interessantes, como a Manzana Jesuítica, Patrimônio Mundial da Humaninadade, pela UNESCO.

Mas a viagem tinha que continuar (tinha?) e, assustado pelo calor, desisto de uma vez de ir a Salta e vou um pouco mais ao sul: Mendoza.

Custos:
Ônibus Curitiba/Asunción: R$ 110,00 (Pluma)
Hotel Asunción: Gs. 70.000,00 ou R$ 30,00* (Hotel Sagaró)
Ônibus Asunción/Resistência: Perdi essa informação, mas não ultrapassava R$ 50,00.
Ônibus Resistência/Córdoba: $ 130,00 ou R$ 75,00* (Flecha Bus)
Hostel Córdoba: $ 22,00 a diária, ou R$ 13,00*.

* Conversão de dezembro de 2007.

Veja outras fotos de Córdoba no Flickr.
E clique aqui para ver o custo total desta viagem.




2 Comentários
  1. Oi Phelipe, uma coisa que é sempre chata, é passar por fronteiras, ainda mais vindo do Paraguai. No caso desta, com direção a Córdoba, sempre demora bastante, pois eles revistam todo o ônibus. Fora isso, é tranquilo 🙂

    Na direção contrária, da Argentina para o Paraguay é bem mais rápido.

    Você vai de ônibus? Dá uma olhada se consegue ir direto a Córdoba ou terá passar em Resistência (veja o site da rodoviária de Asunción: ).

    um abraço!

  2. Olá Rodrigo
    Estou planejando um roteiro paracido com o seu. Minha duvida é como sair de Assuncion, é de facil acesso? Também penso em ir até Cordoba.

    Abç

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.