puerto-natales

Foto: stevemonty

Como havia dito em outro post (El Calafate / El Chaltén), de El Chaltén só existem três horários para regressar a El Calafate e é de lá que saem os ônibus a Puerto Natales, com o detalhe de ter apenas um ônibus por dia que faz esse trajeto e logo pela manhã, as 8h30. Ou seja, vindo de El Chaltén é obrigatório passar a noite em El Calafate para poder viajar no outro dia, cedo, para Puerto Natales.

Saí de El Chaltén no ônibus da 13h e que chega por volta das 16h30 em El Calafate. Organizei tudo que tinha na mochila e a noite fui conhecer o Cassino da cidade. Fui com pouco dinheiro e em 30 minutos já tinha 150% de lucro, o que não era quase nada. Mais 30 minutos se passaram e já não tinha mais nada. Voltei desanimado e fui dormir.

No outro dia, peguei o ônibus as 8h30 e que passa pela fronteira com o Chile, onde fica um bom tempo até que os passageiros peguem o visto e passem por uma desagradável revista para ver se não está entrando com nenhum alimento no país. Eu já sabia que a coisa era chata e resolvi deixar tudo o que tinha de comida em El Calafate, mas quando minha mochila passa pelo raio-x é descoberta uma maçã que eu havia comprado em El Chaltén e que estava em uma pequena mochila de ataque, que utilizo para as caminhadas.

Aí começou a choradeira. De um lado o guarda querendo me aplicar uma multa, que não é nada barata e, de outro, eu dizendo que tinha esquecido, que não sabia da existência da maldita maça. O cara querendo que eu tirasse tudo da mochila e eu dizendo que só tinha roupa. Ele dizendo que se eu tinha uma maçã na mochila pequena bem que podia ter outras na mochila grande… Enfim, em poucos minutos no país eu já queria voltar a Argentina.

No final ele disse: Dessa vez passa, mas na próxima é multa! Eu agradeci, nervoso, enquanto pensava em nunca mais cruzar uma fronteira com o Chile.

Quando cheguei a Puerto Natales já estava mais calmo e minha revolta contra o Chile já tinha passado, pelo menos um pouco. No próximo dia eu iria a Torres del Paine e já acharia tudo lindo novamente, mas essa é outra história.

Custos em 2009 (em pesos argentinos e chilenos):

El Calafate/Puerto Natales: $ 60,00 (Cootra)
Hospedagem: $ 5.000 (Niko’s Residencial)



RelatedPost

6 Comentários
  1. Pô! Você vai no cassino e leva cincão? Pão duro…
    Cara, acho que você tem que comprar um “kit Chile”, tipo umas camisetas com a cara do Valdivia, outra do Maldonado, Zamorano. Numa dessas funciona.

    Um abraço grande!

  2. Sabia que não devia ter falado do valor…. hehehe
    Mas essas máquinas são foda, se a pessoa não entra com um limite estabelecido pode acabar gastando um monte.
    Agora, no Ushuaia, já fui duas vezes no cassino, sempre nas máquinas. Um dia perdi 10 pesos em 2 minutos e no outro saí com 40 pesos. Não está mal.

    Quanto ao Chile… paizínho difícil esse.

    abraço

  3. Olá!!Estou indo pra El Calafate em janeiro,ficarei 3 dias em El Calafate e depois irei pra El Chalten,para conhecer Torres Del Paine.Só que estou com dúvida se devo mesmo ir pra El Chalte ou pra Puerto Natales,já vi que tem onibus de Calafate para el Chalten.O que vc acha melhor?

  4. Olá Raiani, em El Chaltén, na Argentina, fica o cerro Fitz Roy e em Puerto Natales, no Chile, o parque Torres del Paine. O ideal é conhecer as duas cidades, já que não ficam muito longe uma da outra. Os dois parques são realmente lindos e valem a pena a visita.

    Dá uma olhada nos posts http://www.projetolatinoamerica.com.br/torres-del-paine/
    http://www.projetolatinoamerica.com.br/el-calafate-el-chalten/ e
    http://www.projetolatinoamerica.com.br/fitz-roy/

    Um abraço!

  5. ola,estou pensando em ir para buenos aires agora em fevereiro e ir descendo de onibus vizitanto as cidades no caminho ate el chalafate e depois pegar um onibus de la para puerto natales e subir do mesmo jeito so que pelo chile, voce acha que é uma boa ideia ? tem como ? Obrigado desde ja

  6. Oi Gabriel, de Buenos Aires até El Calafate é tranquilo. Tem muitos ônibus e muitas cidades para ir parando. A volta pelo Chile é que acho que fica mais complicado. Até onde eu sei, para baixo de Puerto Montt a viagem de ônibus é complicada. Uma opção talvez seja descer pelo litoral argentino e subir também pela Argentina, mais pelo interior, até Bariloche, onde aí sim pode cruzar para o Chile.

    Espero ter ajudado. Um abraço!

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.