Latino-americanos buscam integração nos Jogos Mundiais dos Povos Indígenas

Jogos Mundiais dos Povos Indígenas

Palmas (TO) – Indígenas de diversas etnias competem na primeira etapa da corrida de 100m (Marcelo Camargo/Agência Brasil)

Povos de treze países da América Latina vieram a Palmas, no Tocantins, participar dos primeiros Jogos Mundiais dos Povos Indígenas. E lideranças latino-americanas ressaltam que esse é um momento único para unir os povos tradicionais da região.

A Argentina é um país conhecido por ter uma população de origem europeia. Mas ainda existem cerca de 30 etnias no país. Nesses jogos, nossos hermanos vieram em uma delegação de 60 indígenas de seis etnias diferentes.

Eles viajaram durante três dias de ônibus para chegar a Palmas. O argentino Ariel Araújo, da etnia Mocoví, ressalta que os Jogos Mundiais valorizam os esportes indígenas.

Do Panamá, veio uma delegação de 65 pessoas de 5 etnias diferentes. Somente do povo Guna existem 50 mil no país da América Central. Eles vivem em um arquipélago com 365 ilhas. Dessas, 49 são habitadas.

A liderança Jhonny Ayarza explica que o território deles é autônomo, tem um Congresso próprio e o governo precisa pedir permissão ao povo Guna para intervir na região.

Jhonny diz que apesar das diferenças, todos os povos indígenas têm muito em comum como a pesca, a caça e a relação com o meio ambiente. Ele considera os Jogos uma oportunidade para unir as lutas das etnias.

Descendente dos Mayas, o Indígena Seluyn Solares, da Guatemala, viaja para divulgar a Pelota Maya, jogo de cerca de três mil anos. São dois times que usam o antebraço, quadril, costas e ombro para jogar uma bola por um arco que fica pendurado.

Outro esporte demonstrado nos Jogos Mundiais dos Povos Indígenas é a Pelota Mixteca, esporte de etnias mexicanas. Parece o jogo com peteca, mas no lugar é arremessada uma bola que pesa quase um quilo.

O objetivo é não deixá-la cair e jogá-la para cima do time adversário. Por causa do peso, eles usam luvas protetoras na mão.


Por Lucas Pordeus Leon | Fonte: EBC – Rádio Agência Nacional sob Licença Creative Commons Atribuição 3.0 Brasil.


Veja também:

Livro relata violência contra indígenas durante a ... Uma investigação da história de centenas de indígenas mortos durante a ditadura militar no Brasil, de 1964 a 1985, foi transformada em livro pelo ...
Línguas indígenas do Brasil e da América Latina co... A Professora Bruna Franchetto apresenta as novas publicações do Programa de Documentação de Línguas e Culturas Indígenas (Marcelo Camargo/Agência Bra...

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Projeto Latinoamérica

Newsletter:

Insira seu e-mail: