Patrimônios da Humanidade na Argentina

Unesco Patrimônio Mundial

Alguns dos pontos mais interessantes vistos nas viagens feitas pelo Projeto Latinoamérica foram, sem dúvida, os considerados patrimônios da humanidade pela Unesco. A América Latina é bem representada e, dessa vez, damos destaque a Argentina, que possui oito em seu território, sendo quatro naturais e quatro culturais. Recentemente receberam mais um, junto com o Uruguai e, dessa vez, um patrimônio imaterial, com o Tango.

PATRIMÔNIOS NATURAIS:

– Parque Nacional Los Glaciares

Glaciar Perito Moreno, Argentina

Glaciar Perito Moreno, El Calafate

No sul da Argentina, próximo a cidade de El Calafate, está localizado o Parque Nacional Los Glaciares. Com campos de gelo que ocupam uma superfície total aproximada de 2.600 km2, seus glaciares mais conhecidos são o Perito Moreno (que atrai milhares de visitantes todos os anos) e Upsala. Outro ponto muito visitado do parque, conhecido como a capital nacional do trekking, é a cidade de El Chaltén, onde se encontra o cerro Fitz Roy.

Na internet: www.parquesnacionales.gob.ar/areas-protegidas/region-patagonia-austral/pn-los-glaciares

– Parque Nacional Iguazú

Cataratas del Iguazú, Argentina

Cataratas del Iguazú, Misiones, Argentina

No norte da província de Misiones, na cidade de Puerto Iguazú e fronteira com o Brasil, está uma das maiores belezas naturais do continente. O parque engloba, além das famosas Cataratas del Iguazú, uma grande área de selva subtropical com uma variedade enorme de espécies.

Para os brasileiros, esse talvez seja o local mais fácil para chegar a Argentina e, para quem vai as Cataratas, a visita só é completa para quem conhece os dois lados, o brasileiro e o argentino. Compará-los é perda de tempo. Ambos oferecem belezas e vistas únicas.

Na internet: http://iguazuturismo.gob.ar/

– Península Valdés

Situada na Patagônia, a 77 quilômetros de Puerto Madryn, a Península Valdés é um local de preservação de mamíferos marinhos de importância mundial, abrigando importantes populações reprodutoras de baleias francas em perigo de extinção, assim como de elefantes e leões marinhos.

Na internet: www.madryn.gov.ar/turismo/2010/index.php

– Parques Naturais Ischigualasto e Talampaya

Com 275.300 hectares na região desértica das Serras Pampeanas do centro da Argentina, nas províncias de San Juan e La Rioja, as formações geológicas dos parques contém o conjunto continental de fósseis mais completo do mundo correspondente ao período Triássico (245 a 208 milhões de anos atrás). Os fósseis compreendem uma ampla gama de antepassados dos mamíferos, assim como vestígios de dinossauros e plantas, que ilustram a evolução dos vertebrados e as características dos paleo ambientes do período Triásico.

O Parque Provincial Ischigualasto é mais conhecido como Valle de la Luna.

Na Internet: www.talampaya.gob.ar e www.ischigualasto.gob.ar

 

PATRIMÔNIOS CULTURAIS

– Missões Jesuíticas Guaranis

San Ignacio Mini, Misiones

Reduções jesuíticas de San Ignácio Mini

A província de Misiones, na Argentina, não é famosa somente pelas Cataratas del Iguazú. Aí também existe algumas ruínas de Missões Jesuíticas dos séculos XVII e XVIII. As missões jesuíticas foram construídas em território Guarani e, hoje, se encontram no sul do Paraguai, noroeste da Argentina e sul do Brasil.

Na Argentina, são consideradas patrimônio pela Unesco as ruínas de San Ignacio Mini, Santa Ana, Nuestra Señora de Loreto e Santa Maria Mayor, da mesma forma que as ruínas de São Miguel das Missões, no Brasil, e as de Jesús de Tavarangue e Trinidad del Paraná, no Paraguai.

Na internet: www.misiones.tur.ar

– Cueva de las Manos

A Cueva de las Manos, localizado no Cañadón del Alto Río Pinturas, na patagônia argentina, abriga um conjunto excepcional de arte rupestre, realizadas entre os anos 13.000 e 9.500 a.C. A caverna leva esse nome em virtude das várias pinturas de mãos, em negativo, feitas em suas paredes. O conjunto também apresenta outros temas, como pinturas de animais locais, sobretudo guanacos.

Na Internet: cuevadelasmanos.org

– Manzana y Estancias Jesuíticas de Córdoba

Estancia Jesuitica de Alta Gracia, Córdoba

Estância Jesuítica de Alta Grácia, Córdoba.

A Manzana Jesuítica talvez seja o ponto mais turístico da cidade de Córdoba. Ela compreende vários prédios, como a Igreja da Compañía de Jesús, a Capilla Doméstica, a residência dos jesuítas, o Rectorado de la Universidad Nacional de Córdoba e o Colégio Nacional de Monserrat. A primeira construção começou em 1608.

Além da Manzana, também são considerados patrimônios pela Unesco as estâncias jesuíticas de Alta Gracia, Santa Catalina, Caroya, Jesus Maria e Candelaria, que ficam próximas a cidade de Córdoba.

Na internet: www.cordobaturismo.gov.ar/producto/turismo-cultural/camino-de-las-estancias-jesuiticas

– Quebrada de Humahuaca

Cerro de los Siete Colores, Purnamarca

Cerro de los Siete Colores, Purnamarca

Como se não bastasse a beleza natural desse grande vale montanhoso no noroeste argentino, na província de Jujuy, na Quebrada de Humahuaca existem traços de sua utilização como importante via comercial desde 10.000 anos atrás, assim como atividades de grupos de caçadores-coletores pré-históricos. Além disso, também existem vestígios do império inca (séc. XV e XVI) e dos combates dos republicanos pela independência Argentina (séc. XIX e XX). É história pura!

Na internet: www.turismo.jujuy.gov.ar/region/quebrada/

 

PATRIMÔNIOS IMATERIAIS

Tango:

projeto-tango

Segundo a UNESCO, o patrimônio cultural também compreende as tradições ou expressões herdadas de nossos antepassados e transmitidas aos nossos descendentes, como tradições orais, artes do espetáculo, usos sociais, rituais, atos festivos, conhecimentos e práticas relativas a natureza e o universo. Uma forma de proteger a diversidade cultural frente a crescente globalização.

O Tango, que nasceu na bacia do Rio da Prata, nas classes populares de Buenos Aires e Montevidéu, foi considerado, em 2009, patrimônio imaterial não só da Argentina, mas também do Uruguai.

Para saber mais sobre a origem do tango, confira o vídeo, conduzido pelo poeta uruguaio Horacio Ferrer.

 

Fonte: Unesco – http://whc.unesco.org/en/statesparties/ar




Veja também:

Ruínas de Tiahuanaco, na Bolívia A apenas 72 quilômetros de La Paz, o sítio arqueológico de Tiahuanaco, ou Tiwanaku, revela uma fascinante e misteriosa cultura pré-incaica. A import...
De ônibus de El Bolsón para El Calafate Centro de El Calafate Embora eu tenha ido a El Calafate saindo de El Bolsón, esse relato vale também para quem sai de Bariloche, pois o ônibus muitas...
Manzana Jesuítica de Córdoba, Argentina A Manzana Jesuítica talvez seja o ponto mais conhecido e turístico da cidade de Córdoba, na Argentina. A  manzana é uma quadra que compreende vários...
4 Comentários
  1. Caro Rodrigo: Interesso-me por História, Patrimônios Culturais,coisas da América Latina em geral. Como o seu blog é relacionado, gostaria de informações mais seguras de sua parte, a respeito de uma notícia do El Clarin no dia 17 ou 18 de maio/2012 sobre o Páteo do Cabildo de Buenos Aires ser considerado Patrimônio Imaterial. Você sabe alguma coisa a respeito do tema?
    Moro em São Paulo – Brasil.
    Desde já agradeço pela atenção.

  2. Oi Nilda, não fiquei sabendo de nada a respeito, mas acho estranho o Cabildo como Patrimônio Imaterial. No caso, acho que patrimônio cultural seria mais adequado.

    um abraço!

  3. Oi Rodrigo! Você sabe me dize se há na Argentina um órgão de preservação do patrimônio nos moldes do IPHAN?

  4. Olá Samuel, não tenho certeza. Creio que seria a Secretaría de Patrimonio Cultural, ligado ao Ministerio de Cultura de la Nación.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Projeto Latinoamérica

Newsletter:

Insira seu e-mail: