Preços no Ushuaia, Argentina

Vista da cidade de Ushuaia, na Argentina

Pouco antes de chegar ao Ushuaia, fui conhecendo pessoas que estavam vindo de lá, e que sempre me diziam que era uma cidade cara e demasiada turística. Isso foi me dando um pouco de medo, mas quando cheguei vi que as coisas podiam ser um pouco diferentes.

É claro, existem muitos turistas e pode ser bem cara, mas para que isso se torne um problema vai depender das lugares onde se vá. A começar pela hospedagem.

HOSPEDAGEM:

Como o Ushuaia está em frente ao canal Beagle e é rodeado por montanhas, a cidade começa a nível do mar e vai subindo, até onde começam as montanhas. Então, quem quer pagar preços um pouco melhores é melhor ter disposição de subir o morro.

Na parte mais baixa chegaram a me oferecer hostels a 50 pesos. Fiquei a algumas quadras de lá, tendo que enfrentar uma forte subida e paguei $ 35. Acho que valeu a pena.

COMÉRCIO E PASSEIOS:

A cidade também tem uma rua principal, onde está grande parte do comércio local, a Avenida San Martin. Muita gente que vai ao Ushuaia não sai dessa rua, que apesar de ter quase tudo é um pouco mais cara. A solução seria encontrar outros comércios, fora desse centro turístico.

Ushuaia não é uma cidade tão pequena e não vive só do turismo, como El Calafate, que para mim foi mais cara e turística. Ali se podem encontrar restaurantes e um comércio feito para os residentes, que sai um pouco da exploração turística. Mas para isso tem que perguntar, tem que caminhar.

Para a compra de passeios a receita é pesquisar e pechinchar. Encontramos um passeio de barco no canal Beagle que variava de 170 a 200 pesos na mesma empresa.

COMES E BEBES:

O famoso cordeiro patagonico. Ushuaia, Argentina.

Eu não costumo gostar de lugares feito para turistas, acho muito artificial. Uma noite fui conhecer um bar que é muito conhecido, o Dublin. Era uma sexta-feira a noite e estava lotado. Como ouvia mais inglês, francês, alemão… do que espanhol, tomei uma cerveja e fui embora. Gostei mais do Invisible (final da San Martin), que também tinha turistas, mas se podia ver mais gente da cidade, falando o idioma local e que me pareceu muito mais verdadeiro. Os preços? Uma cerveja long neck não sai por menos de 10 pesos nos dois bares e a entrada é gratuita.

Para comer, mesmo querendo economizar, tem que reservar um pouco de dinheiro para provar o cordeiro patagônico e a centolla (uma espécie de siri gigante). Para os assados, incluindo o cordeiro, um tenedor libre sai a partir de 50 pesos e a centolla sai a partir de 70 pesos. Não são muito baratos, mas valem a pena. Afinal, não é sempre que se vai ao fim do mundo.

* Preços de dezembro de 2009.




Veja também:

Distâncias de El Calafate, na Argentina El Calafate, na Patagônia Argentina, é parada obrigatória para quem vai ao Glaciar Perito Moreno, ao Fitz Roy ou ao Parque Torres del Paine, no Chil...
Fotos de los Uros, no lago Titicaca Já falamos por aqui das Ilhas flutuantes de los Uros, a poucos quilômetros de Puno, no Peru, e em pleno lago Titicaca. Essa, que junto com Copacaban...
El Bolsón, encontrando a paz Vista de El Bolsón. Foto: Gallegolas48 Logo que cheguei em El Bolsón, perguntei se muitos brasileiros visitavam a cidade, como fazem com a vizinha...
7 Comentários
  1. Hummm, esse cordeiro parece ser muito bom, você comeu? E o siri gigante, é bom?

  2. O Cordeiro é muito bom mesmo. Comi mais de uma vez.
    Agora tenho um problema com qualquer coisa que venha do mar, então acabei não comendo a centolla. Queria provar um pedacinho e não comprar uma inteira. Essa fica pra próxima.

  3. Olá Rodrigo! Estou pensando em ir para Ushuaia. Vc poderia me dar umas dicas: melhor época, hostels, preços dos passeios, etc. Desde já agradeço.

  4. Oi Marcos, já faz um ano que fui ao Ushuaia. No verão, que foi quando fui, não se pode esquiar e os dias são bem longos. No inverno é o contrário.

    Você pode fazer o Parque Nacional por conta própria ou comprar um passeio. Eu fui de taxi com outros hóspedes do hostel e fizemos tudo sozinhos. Para passeios de barco, dá uma olhada em http://www.projetolatinoamerica.com.br/passeios-de-barco-no-ushuaia-conhecendo-o-canal-beagle/ que falo um pouco sobre eles e os preços.

    Me hospedei no Hostel Guesthouse (acho que eles não possuem site) e me custou 35 pesos na época. Era um dos mais baratos. Se for agora, deve gastar cerca de 50 ou um poco mais.

    acho que é isso, espero ter ajudado.

    Um abraço.

  5. Olá Rodrigo. Obrigado pelas dicas. Me ajudarão muito. Só pra me certificar: os preços dos passeios são em USD não é? Abraço.

  6. Oi Marcos. Não, os preços são em pesos argentinos. Mas como isso foi em dezembro de 2009, já devem ter subido.

    Se quiser entrar em contato com as empresas:
    http://www.tolkeyenpatagonia.com/
    http://www.catamaranescanoero.com.ar/

    Um abraço

  7. Acho que vou experimentar esse siri gigante (centolla). Robson Eustáquio de Mesquita.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Projeto Latinoamérica

Newsletter:

Insira seu e-mail: