Livro: ¡Pobre Patria mía!, de Marcos Aguinis

Afim de conhecer um pouco mais a Argentina, comprei um livro chamado ‘¡Pobre Patria Mia!’, de Marcos Aguinis, que fala um pouco sobre a política local.

O livro, como o autor mesmo diz, “não é um livro. É um grito rebelde, um chamado de atenção”. E é como um grito que Aguinis leva esse seu ‘panfleto’, cheio de paixão e ironia: “Fuimos ricos, cultos, educados y decentes. En unas cuantas décadas nos convertimos en pobres, mal educados y corruptos. ¡Geniales!

Aguinis fala um pouco de educação, da estatização do dinheiro do povo argentino e, sobretudo, do casal Kirchner, onde faz suas mais severas críticas.

Eu já havia notado, conversando com algumas pessoas sobre o trabalho na argentina, que muitos trabalham ‘en negro’, ou seja, sem carteira assinada, o famoso ‘por fora’ que estamos acostumados no Brasil. E Aguinis não poderia deixar isso de fora: “En la Argentina se cobra en negro, se vende en negro, se traen e sacan capitales en negro. Somos un país que ha conpensado la casi inexistencia de negros con la economía epilepticamente negra. ¡Qué superdotados!

Apesar de ser um livro que vale a pena ser lido, não devemos parar por aí. Penso que para formar uma opinião mais clara, outros autores e, consequentemente, outras visões são necessárias.

Portando, é uma visão, apoiada por muitos (não todos), sobre o antigo governo de Nestor e, o atual, de Cristina Kirchner. Fala sobre pobreza, corrupção, subornos, favores e alianças. O que nos faz pensar muito em um grande país vizinho que conhecemos bem. ¡Pobre Patria mía!

AGUINIS, Marcos. ¡Pobre Patria mia! 9. ed. Buenos Aires: Sudamericana, 2009.




Por Rodrigo Souza

Editor e idealizador do Projeto Latinoamérica. Google+

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.